quinta-feira, dezembro 14, 2006

De Vanguarda

Até que ponto os públicos da arte devem aceitar sofrimento auto-infligido e morte nos palcos?
A quebra dos limites deve ser o motor e o objectivo do espectáculo?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial